"> Instrumentos de Política Monetária

20 de Janeiro de 2017

Instrumentos de Política Monetária

Escrito por: Angelo Nieves Fiordelisio

O principal objetivo que deve ser perseguido pelo Banco Central é a estabilidade do nível de preços e para alcançar esse objetivo o Banco Central dispõe de instrumentos de política monetária no sentido de evitar que a expectativa inflacionária supere a meta de inflação anunciada.

A meta para a taxa Selic é definida pelo COPOM, de acordo com as expectativas em relação aos comportamentos das variáveis macroeconômicas e para perseguir essa meta o Banco Central dispõem de alguns instrumentos, sendo eles:

  • Taxa de Redesconto

O Banco Central é também conhecido como emprestador de última instancia, de modo que, quando os bancos comerciais se encontram como a relação encaixe técnico/ depósitos a vista muito baixo, podem recorrer ao Banco Central. Em uma linguagem mais simples, esse instrumento resolve os problemas relacionado a deficiência de caixa momentânea dos bancos.

 O redesconto ocorre quando o Banco Central compra títulos de um banco comercial, sendo que o valor emprestado é inferior ao valor do ativo dado em garantia, quando o banco paga o empréstimo, ele recompra o ativo pelo seu valor integral. De modo, que a diferença entre os dois valores exprime a taxa de redesconto.

O banco dos bancos pode adotar dois tipos de políticas de redesconto, a punitiva e não punitiva. A taxa de redesconto punitiva significa que o custo de redesconto é igual à taxa de juros de mercado mais um percentual adicional, logo os bancos comerciais evitam ao máximo essa possibilidade.

  • As Alíquotas das Reservas Compulsórias

O Banco Central pode controlar a oferta monetária ao determinar o montante de reservas bancárias, como alíquota dos depósitos, que os bancos comerciais devem manter junto ao Banco Central. Sendo assim, a alíquota estipulada pelo Banco Central está, inerentemente, veiculada ao objetivo da política econômica a ser adotada. Portanto, se o objetivo é elevar a demanda agregada, por meio do aumento da oferta monetária, o Banco Central nesse caso diminui a alíquota do compulsório, de modo, que os bancos possam conceder mais créditos, aumentando o multiplicador monetário da economia.

  • Operações de Open Market

O principal instrumento para perseguir a meta estabelecida é por meio das operações de “OPEN MARKET”.

No mercado aberto são negociados compra e venda definitiva de títulos do Tesouro Nacional e operações compromissadas de compra e venda de títulos. A compra e venda dos títulos públicos ocorre por meio do Banco Central e dependendo da sua necessidade, ele compra ou vende os títulos disponíveis.

Caso, o Banco Central queira diminuir a taxa de juros e ele compra os títulos públicos que estão em circulação injetando liquidez na economia. Contudo, caso queira aumentar a taxa de juros, o Banco Central vende, títulos públicos.

De modo, sucinto e formalizado o objetivo da política monetária e o uso dos instrumentos de política monetária pode ser entendido pela seguinte equação:

dr = a(p-p*) + b(y-y*)      a≥0 e b ≥0

dr = Variação na taxa de juros do mercado de reservas bancárias

p = Nível de preços da economia

p* = Meta estabelecida pelo banco central

y = Produto real da economia

y* = Produto real de pleno emprego;

Esta equação de reação pretende descrever o comportamento do banco central. Isto é, se o nível de preços subir acima da meta estabelecida (p > p*), o banco central aumenta a taxa de juros implementando uma política contracionista; se o nível de preços estiver abaixo da meta (p < p*), o banco central reduz a taxa de juros, com uma política expansionista. 

 

Fontes:

[1] CARVALHO et alii. Economia Monetária e Financeira: Teoria e Política. Rio de Janeiro, Campus, 2000;

[2] MISHKIN, Frederic S. Moeda, Bancos e Mercados financeiros. Rio de Janeiro, LTC, 2000. 5ª ed.

[3] BARBOSA, Fernando. H. Política Monetária: Instrumentos, Objetivos e a Experiência Brasileia. São Paulo, Educ., 1996

NEWSLETTER

Postagens Populares